A CASA DO SERVIDOR DA JUSTIÇA

Noticias | Destaque, Informe-se

Engajados com o SINDJUSTIÇA, servidores paralisam atividades pela manutenção dos direitos da categoria

paralisacao-sindjusticaDe Norte a Sul de Goiás, servidores do Poder Judiciário estadual paralisaram suas atividades por duas horas, na manhã e na tarde desta quinta-feira (22), para manifestar, com a diretoria do SINDJUSTIÇA, repúdio às medidas previstas no PLC 54/2016 e PEC 241/2016, que tiram direitos dos servidores, como a estabilidade no serviço público. O ato para rechaçar esses projetos de lei que tramitam, respectivamente, no Senado Federal e na Câmara dos Deputados, foi coordenado pelo sindicato nas comarcas goianas.

Vestidos com roupas pretas, os servidores permaneceram nas portas das unidades judiciárias, esclarecendo colegas de trabalho e a sociedade sobre os motivos da mobilização.

Veja fotos dos servidores na paralisação.

Trabalhadores de unidades como as do Fórum Desembargador Fenelon Teodoro Reis, em Goiânia; Anápolis, Aparecida de Goiânia, Araçu, AruanãCaldas Novas, Edéia, Formosa, GoianésiaItumbiaraItapuranga, Inhumas, PorangatuSão Miguel do AraguaiaRialma e Trindade enviaram ao SINDJUSTIÇA registros da adesão da categoria à paralisação. Na sede do TJGO, o ato foi reforçado pelo 1º vice-presidente do sindicato, Fabrício Duarte; e pela vice-presidente para Assuntos Administrativos, Rosângela Ramos de Alencar; além do vice-presidente de Planejamento e Finanças, Luiz Carlos Bontempo de Lima; e do vice-presidente para Assuntos Esportivos e Socioculturais, Kerner Carlos Ferreira Gondim.

É o futuro dos servidores que está em jogo com o PLC 54 e a PEC 241. A nossa categoria precisa despertar para essa questão, que é gravíssima. Se os servidores não mostrarem ao Congresso Nacional a força que têm, os parlamentares não encontrarão nenhuma barreira para aprovar essas propostas, retirando direitos nossos. (Rosângela Ramos de Alencar, vice-presidente do SINDJUSTIÇA para Assuntos Administrativos)

Escrevente na 1ª Vara Cível de Goiânia, Sayuri Rodrigues Tanaka Leite concorda com Rosângela. “A partir do momento em que os servidores se unem ao SINDJUSTIÇA nesse ato, a nossa categoria sai fortalecida e mostra que participa efetivamente em todos os debates que nos cercam.”

Na avaliação do delegado sindical da comarca de Goianápolis, Eduardo Faria de Araújo, o momento de os servidores se unirem decisivamente é agora. “Se não nos engajarmos nessa mobilização, corremos o risco de ter os nossos próprios reajustes salariais congelados. Esses dois projetos são verdadeiras aberrações”, argumentou Eduardo.

De iniciativa da Fenajud, a paralisação dos servidores busca a impedir o avanço do PLC 54 (que era o PLP 257/2016) e da PEC 241 com os dispositivos que preveem medidas danosas à categoria. Entre elas se enquadram a impossibilidade de reestruturação nas carreiras e de reajustes salariais, bem como o aumento da alíquota de recolhimento para fins previdenciários.

Guia do SINDJUSTIÇA explica os danos dos projetos à categoria dos servidores.


Fonte: Assessoria de Comunicação do SINDJUSTIÇA