Contra a perda de direitos da categoria, servidores do Judiciário em Goiás fazem novas paralisações em todo o Estado

paralisacoes-servidoresGoiânia, Anápolis, Caiapônia, Cumari, Formosa, Itapuranga, Itumbiara, Petrolina e Santo Antônio do Descoberto estão entre as diversas comarcas que aderiram, nesta quinta-feira (29), às paralisações conduzidas pelo SINDJUSTIÇA em defesa dos direitos da categoria. Em todo o Estado de Goiás, os servidores do Poder Judiciário atenderam à convocação do sindicato para protestar, nas portas dos fóruns, vestidos com roupas pretas, contra o PLC 54 e a PEC 241, ambos de 2016. Os projetos atentam contra as garantias dos trabalhadores, prevendo medidas danosas, como o congelamento de reajustes salariais e a dispensa dos servidores por baixo desempenho.

Confira o álbum de fotos das paralisações.

Na capital e no interior, o manifesto se desdobrou pela manhã e durante a tarde. Em Goiânia, coordenaram as paralisações o 1º vice-presidente do SINDJUSTIÇA, Fabrício Duarte; a vice-presidente para Assuntos Administrativos, Rosângela Ramos de Alencar; a vice-presidente para Assuntos de Secretaria, Comunicação, Divulgação e Imprensa, Mara Cristina Ferreira; a vice-presidente para Assuntos das Comarcas do Interior, Maria de Fátima da Silva; e o vice-presidente para Assuntos Esportivos e Socioculturais, Kerner Carlos Ferreira Gondim.

Tanto o PLC 54 como a PEC 241 trazem medidas que são extremamente perigosas para os servidores públicos. Portanto, é fundamental que a nossa categoria se mantenha mobilizada. Precisamos nos fortalecer e criar resistência para que os projetos não sejam aprovados no Congresso Nacional. (Rosângela Ramos de Alencar, vice-presidente do SINDJUSTIÇA para Assuntos Administrativos).

Guia do SINDJUSTIÇA explica os perigos da aprovação dos projetos para a categoria dos servidores.

A força do SINDJUSTIÇA está nos servidores

Foi o que afirmou, em Goiânia, a servidora Cristiana Maria de Abreu Pereira. Com a propriedade de quem assinou, há 27 anos, a ata de criação do SINDJUSTIÇA, Cristiana conclamou os filiados a se engajarem nessa luta com o sindicato, em defesa dos direitos dos servidores. Cristiana participou das paralisações na sede do TJGO.

A força do SINDJUSTIÇA está nos servidores. Se não permanecermos unidos, o sindicato não mantém a sua força institucional. É muito preocupante o que o governo federal que impor à nossa categoria. São medidas danosas, que nos prejudicarão a médio e longo prazo. Por isso, nós precisamos intensificar essa luta. (Cristiana Abreu, técnica judiciária na comarca de Goiânia)

Vire seu tablet para a

posição horizontal