Legado de conquistas históricas para a categoria

Rosangela Ramos AlencarApós três mandatos como presidente do SINDJUSTIÇA, Rosângela Ramos de Alencar deixa a liderança do sindicato com a satisfação de inúmeras vitórias para a categoria. Embora o envolvimento com a mobilização sindical venha desde o início da carreira, nos anos 80, e ela já tivesse participado da diretoria da entidade desde os anos 90, foi só em 2004 que ela concorreu à Presidência, tornando-se a primeira mulher a presidir o SINDJUSTIÇA.

Rosângela foi reeleita para a gestão seguinte, entre 2008 e 2013. Em 2017, ela ganhou nova eleição para a presidência da entidade. Com uma vida dedicada ao Judiciário desde 1980 — o início foi como atendente de balcão na 10ª Vara Criminal de Goiânia — a sindicalista aposentou-se em 2014, mas decidiu aproveitar o tempo livre para doar-se ainda mais para servir a categoria.

Entre as muitas realizações deste longo período de luta sindical, Rosângela Alencar assinala alguns feitos que considera mais importantes para a categoria historicamente, como a aprovação do Plano de Cargos e Salários que acabou de vez com a discriminação nos vencimentos daqueles que trabalham na capital e no interior do Estado, além da concessão do auxílio alimentação — ambos em sua segunda gestão.

“Deste terceiro mandato, não poderia deixar de ressaltar a quitação da URV em 2017, depois de uma luta da categoria por mais de 22 anos, com um resultado que fez justiça às perdas de 4,2 mil servidores; ou tampouco a instituição da Gratificação Judiciária de 25%, contemplada no PCS em 2018”, destaca.

Além de questões pontuais, Rosângela ressalta ainda o trabalho sistemático pela valorização da instituição, realizado ao longo destes anos. “Hoje o sindicato é respeitado pelos servidores, pela administração do TJ, pelo governo, pelo Poder Legislativo e por outras entidades do movimento sindical”, afirma, lembrando que o fortalecimento da entidade vem de um processo árduo e contínuo.

“Esse reconhecimento e essa força que temos hoje são fruto da dedicação e amadurecimento de colegas que compreenderam que, apesar do caráter político inerente à própria atividade, o sindicato deveria deixar de lado o partidarismo. Deixamos de ser um sindicato guerrilheiro para nos tornarmos um sindicato que dialoga e delibera através da negociação as conquistas para os servidores”, declara.

A nova diretoria que agora assume o SINDJUSTIÇA tem todo o seu aval. “O novo presidente, Fabrício Duarte, que tem participado ativamente do movimento sindical há mais de duas décadas e foi vice-presidente de Comunicação da gestão que se encerra agora, é extremamente capacitado para a nova posição: seu equilíbrio, capacidade de liderança, mobilização e negociação são invejáveis e vão contribuir muito pelo bem da categoria”, atesta Rosângela Alencar.

“Além dos colegas com comprovada experiência na luta sindical, a diretoria que assumirá agora traz também nomes novos, representativos da nova geração dos servidores do judiciário que, com certeza, poderão colaborar ativamente com o movimento sindical”, comenta Rosângela Alencar ao falar sobre a composição da nova diretoria.

“Ver os servidores tão bem representados por essa equipe é muito recompensador e nos dá aquela sensação de que contribuímos, ainda que modestamente, para a formação de um quadro de lideranças digno da produtividade e qualidade do serviço prestado pelos servidores do TJGO, que figuram entre os mais produtivos do País. Embora eu esteja deixando a liderança do sindicato, continuarei na luta para o devido reconhecimento ao servidor”, garante Rosângela Alencar.

Fonte: Assessoria de Comunicação do SINDJUSTIÇA | Ampli Comunicação

Vire seu tablet para a

posição horizontal