Aprovado em assembleia Plano de Ação de Movimento Paredista

assembleia geral

Plano de ação do SINDJUSTIÇA em razão dos parcelamentos e atrasos salariais foi discutido em Assembleia Geral Extraordinária, na tarde desta quinta-feira (25). Foi deliberado, por votação unânime, paralisações às terças-feiras caso o mandado de segurança preventivo a ser impetrado pelo sindicato para impedir novos atrasos nos salários não logre êxito. A reunião contou com a presença do deputado estadual e servidor de carreira do Judiciário, Karlos Cabral.

“A Constituição Federal e Estadual nos garantem esse recurso, pois os direitos da categoria foram violados. O caráter preventivo da peça se baseia, sobretudo, na recorrência desses atrasos e nos pronunciamentos recentes do governo estadual, de que está enfrentando dificuldades financeiras para quitar a folha salarial dos servidores”, justificou Rosângela Ramos Alencar, presidente do SINDJUSTIÇA, durante a assembleia realizada na Sede Recreativa do sindicato.

“Os servidores não podem continuar sendo penalizados em consequência da má administração financeira do Poder Executivo. A categoria já vinha sofrendo com atrasos salariais recorrentes, o que foi agravado com o parcelamento do pagamento dos vencimentos em outubro”, completou Rosângela.

O mandado de segurança será a mais recente medida da entidade sindical em resposta aos atrasos salariais. “O sindicato tem, por meio de medidas jurídicas e administrativas, cobrado com veemência providências e esclarecimentos por parte da Presidência do Tribunal de Justiça e do governo estadual acerca dos atrasos salariais e parcelamentos”, reforça a presidente do SINDJUSTIÇA.

“O movimento paredista, um ato de defesa legítima dos interesses do servidor efetivo, será deflagrado se não obtivermos êxito no mandado de segurança, conforme deliberou a categoria na assembleia”, acrescenta Rosângela Alencar. Além das paralisações iniciais às terças-feiras, também foi aprovada autorização da categoria para que o sindicato possa convocar assembleia com pauta “greve emergencialmente”, caso seja necessário.

Fonte: Assessoria de Comunicação do SINDJUSTIÇA | Ampli Comunicação

Vire seu tablet para a

posição horizontal