SINDJUSTIÇA solicita ao TJGO providências junto à Sefaz para que repasse de verbas para consignados ocorra na data correta

emprestimo consignado

O SINDJUSTIÇA protocolizou ofício (PROAD n° 201807000115969) requerendo ao presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, desembargador Gilberto Marques Filho, providências junto à Secretaria da Fazenda do Estado de Goiás (Sefaz) quanto ao repasse dos valores para quitação de parcelas de empréstimos consignados de servidores do TJ às instituições financeiras. Estas estão, indevidamente, acionando os trabalhadores com cobranças via telefone ou por correspondência. O pedido se soma a uma série de medidas que o sindicato vem tomando contra este tipo de constrangimento aos servidores, como inquérito que tramita na Corregedoria-Geral do Ministério Público de Goiás, de iniciativa do SINDJUSTIÇA.

Apesar do desconto nos contracheques dos servidores das parcelas de empréstimos consignados, o Executivo tem atrasado os repasses destes valores às instituições. Além de encaminhar cobranças aos trabalhadores, as instituições, pelo mesmo motivo, estão cancelando a possibilidade de renovação de empréstimo consignado, mesmo em caso de margem para tal. Em alguns casos, os servidores têm sido ameaçados de inclusão de seus nomes em órgãos de proteção ao crédito.

“O sindicato tem recebido várias denúncias dos servidores que estão sendo incomodados indevidamente por instituições financeiras. Solicitamos à presidência do TJ providências junto à Sefaz ou outro órgão público pertinente no sentido de resolver a situação do repasse das verbas de consignados para que as mesmas sejam repassadas nas datas corretas às instituições financeiras, isentando assim nossos representados do constrangimento vivido”, destaca Rosângela Alencar, presidente do SINDJUSTIÇA.

Documentação
O SINDJUSTIÇA solicita aos servidores que têm recebido cobranças de instituições financeiras relativas ao crédito consignado que procurem o Departamento Jurídico da entidade. No caso de notificação por escrito, é necessário que a carta de cobrança seja encaminhada aos advogados do sindicato, pois a mesma será anexada como prova no inquérito que tramita no MP. Para efeito, o servidor deve digitalizar o documento e encaminhar por e-mail para sindjustica@sindjustica.com

Fonte: Assessoria de Comunicação do SINDJUSTIÇA | Ampli Comunicação

Vire seu tablet para a

posição horizontal