Anfitrião de encontro da Fenajud, SINDJUSTIÇA reforça parceria com sindicatos do Sudeste e Centro-Oeste em defesa dos servidores

encontro-fenajud-sindjustica-goias 1

O SINDJUSTIÇA recebeu, neste sábado (7), sindicalistas dos Estados de Goiás, Mato Grosso do Sul e Espírito Santo, no 1º Encontro dos Sindicatos das Regiões Sudeste e Centro-Oeste da Fenajud, onde foram discutidas ações em defesa dos servidores do Poder Judiciário nos Estados. A atividade se deu no Clube Recreativo, com participação do presidente do SINDJUSTIÇA, Fábio Queiroz; do 1º vice-presidente, Fabrício Duarte; e da vice-presidente para Assuntos das Comarcas do Interior, Maria de Fátima da Silva.

Fábio Queiroz iniciou a atividade com explanação sobre os riscos para os servidores pela provável aprovação, no Congresso Nacional, do Projeto de Lei Complementar (PLP) 257/2016. A matéria prevê que a renegociação das dívidas dos Estados com a União condicionada, nas unidades federativas, à medidas austeras, que atentam contra o funcionalismo público.

Vivemos um momento decisivo. Precisamos nos mobilizar. Não podemos aceitar o PLP 257 nos termos em que se encontra hoje. (Fábio Queiroz, presidente do SINDJUSTIÇA)

Congelamento dos salários dos servidores por dois anos, proibição do pagamento de quinquênios e anuênios, e suspensão de concursos públicos estão entre as medidas que o referido projeto permitirá ao Estados, inclusive o de Goiás.

No ranking dos salários pagos aos servidores da Justiça nos Estados, nós estamos hoje na antepenúltima colocação. (Fabrício Duarte, 1º vice-presidente do SINDJUSTIÇA)

Na avaliação de Maria de Fátima, conhecida como Fatinha, “ações como essa (do PLP 257) só vão levar à precarização do Poder Judiciário”.

Para o secretário-geral da Fenajud e diretor Jurídico do Sindjudiciário-ESMarcos Antônio Lemos Fabre, os sindicatos precisam ampliar suas interlocuções com os Poderes constituídos e partidos políticos, seja qual forem suas posições nos parlamentos. “Temos que conversar mais com todas as classes, independentemente da orientação política.”

Fabiano Reis de Oliveira, que é presidente do Sindijus-MS, destacou que tramitam no Congresso, atualmente, ao menos 50 projetos de lei atentatórios contra os servidores do Judiciário. O sindicalista propôs, em contrapartida, investimentos na formação sindical, conscientizando os trabalhadores recém-ingressados na Justiça quanto ao papel que desempenham os sindicatos da categoria. “Os novos servidores precisam compreender a grandeza da atividade sindical”, frisou Fabiano.

Coordenadora-regional Centro-Oeste da Fenajud e diretora de Apoio aos Inativos do Sindijus-MS, Sali Inês Hildebrando deu coro ao argumento de Fabiano. “Nós temos de agir contra a tentativa de acabar com a licença-prêmio, de impedir a compensação das férias em dinheiro e de aumentar a precarização dos serviços do Poder Judiciário”, observou.

Fruto de parceria entre as Coordenações Regionais Sudeste e Centro-Oeste da Fenajud, o encontro deste sábado contou com a participação, também, da presidente do Sindijudiciário-ES, Adda Maria Lobato Machado, e do vice-presidente do Sindijus-MS, Leonardo Lacerda.

Vire seu tablet para a

posição horizontal