Audiência Pública debate PEC da Previdência; SINDJUSTIÇA participa de evento promovido pelo Fórum em Defesa dos Servidores

audiencia pec

O SINDJUSTIÇA participou na manhã desta quinta, 14, da Audiência Pública sobre a PEC da Reforma da Previdência, promovida pelo Fórum em Defesa dos/as Servidores/as e Serviços Públicos do Estado do Goiás, que representa 40 sindicatos. Na audiência, realizada na auditório  Costa Lima, da Alego, ficou acordado a elaboração de um documento único para apresentação aos deputados, cujo texto final será fechado em reunião entre os representantes sindicais, que será realizada na terça, 19.

No evento, que contou com a presença de servidores da área da saúde, educação, segurança, justiça e administração, inclusive inativos, o Fórum apresentou alguns pontos de maior relevância e que serão tratados com prioridade no documento que será enviado aos parlamentares. O aumento da alíquota de contribuição em até 8%  e a extinção do quinquênio estão entre as questões consideradas mais preocupantes na mesa presidida por Bia Lima, presidente do Fórum e do Sintego. Mais clareza e transparência sobre a contribuição patronal à Previdência e o custo à Previdência da política de incentivos fiscais do governo também foram temas abordados pelo Fórum.

“Temos uma tarefa árdua que é mobilizar as bases e trazê-las para a discussão, para que haja a compreensão de que realmente nós precisamos de um suporte  necessário do maior número possível de servidores para conseguirmos que os deputados se atentem sobre as perdas que as categorias se esta PEC for aprovada integralmente”, destacou  Fabrício Duarte, vice-presidente do SINDJUSTIÇA, em seu pronunciamento na audiência.

Ele ressaltou também a fala do deputado Major Araújo, um dos parlamentares que participou do evento. “Louvável a iniciativa de propor uma CPI para investigar o que foi feito com o Fundo Previdenciário de Goiás, que foi extinto. Precisamos saber com transparência o que foi feito dos recursos do Fundo. A Previdência não é o que a gente contribui hoje, mas aquilo que contribuímos em 10, 20 anos de carreira”, observou   Fabrício Duarte.

“Não podemos simplesmente abaixar a cabeça e aceitar que o servidor seja penalizado pela situação. De forma inteligente, devemos contribuir na parte técnica-legislativa, por meio de debates e diálogos. Também devemos agir politicamente, nas ruas, contra a pecha imposta ao servidor público. Precisamos lembrar à sociedade que  nós sustentamos tudo aquilo que é proposto à população, seja na saúde, na previdência, educação ou judiciário,” frisou o vice-presidente do SINDJUSTIÇA.

“Nós somos a base da prestação de serviço à população. Não é o governante que presta este serviço e, portanto, o governante não pode agir dessa forma conosco. Vamos agir politicamente pelos nossos direitos e tecnicamente nós vamos contribuir com os nossos colegas legisladores que integram a Assembleia”, concluiu Fabrício Duarte.

Nesta quarta, 13,  a PEC da Previdência foi lida na Alego. O ato de leitura, exigência do Regimento Interno da Casa, abre caminho para a contagem de dez sessões ordinárias para que a PEC comece a ser apreciada na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ).

Também participaram da mesa na audiência a deputada Adriana Accorsi e o deputado Cel Adailton.

Fonte: Fonte: Assessoria de Comunicação do SINDJUSTIÇA | Ampli Comunicação

Vire seu tablet para a

posição horizontal